Desformou, está pronto?

Há quem, erroneamente, diga que o concreto aparente ao ser desformado está pronto.

Por melhor que tenha sido todo o processo, é importante salientar que se deve:

I. eliminar (quimicamente e/ou mecanicamente – com equipamento e controles específicos) as sujidades e o desmoldante, conhecendo-se o verdadeiro tom do concreto;

II. corrigir pequenos detalhes (lembre-se do “menos é mais”);

III. remover o cone de encosto (“chupeta”) e o tubo 3/4, tamponando da maneira aprovada pela arquitetura;

IV. lavagem do concreto;

V. aplicação das proteções (hidro-óleo repelentes, por exemplo).

Isso sem entrar no mérito do tratamento de fissuras, assunto à parte que não é uma regra, mas pode ocorrer.

Portanto, cuidado com a ideia do “desformou, está pronto”.

[no exemplo ao lado, obra PM4 com um trecho recém-desformado]